fbpx

O que você pode aprender sobre atenção com os idosos

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Você provavelmente já ouviu um idoso afirmar algo parecido com isso: “depois de uma certa idade, a gente só tem tempo para o que importa”.

Assim como em tantas outras áreas da vida, a ciência parece confirmar os efeitos benéficos de uma lição que muita gente só aprende com o passar dos anos.

Os eventos em que você coloca atenção exercem efeitos significativos na percepção da realidade e nas suas atitudes futuras.

Uma psicóloga de Stanford chamada Laura Carstensen utilizou exames de ressonância magnética para analisar a atividade cerebral de indivíduos diante de imagens positivas e negativas. 

A amígdala (região do cérebro que regula nossos impulsos emocionais) dos jovens reagiu a ambos os tipos de imagens.

Já nos idosos, a atividade cerebral foi registrada em resposta às imagens positivas.

A cientista observou que, com o passar do tempo, os idosos “treinavam” o córtex pré-frontal (região do cérebro onde ocorrem os processos cognitivos mais complexos) a inibir a amígdala na presença de estímulos negativos.

Em outras palavras, os idosos não se sentiam mais felizes porque suas vidas eram melhores do que as dos jovens, eles eram mais felizes porque reconfiguraram seus cérebros para ignorar os eventos negativos e aproveitar os positivos.

Pessoas mais vividas demonstraram mais habilidade em gerenciar sua atenção e, com isso, melhoraram sua realidade mesmo sem mudar o ambiente externo.

Existem outros estudos, cujas conclusões apontam a mesma direção.

Se você nunca havia refletido sobre o assunto, agora já sabe.

O que escolhemos nos concentrar exerce papel fundamental na nossa qualidade de vida.

Conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

Leia mais

Assine o LabFazedores

Seja um membro da nossa comunidade